Várias cores, vários sabores

Durante este período de hibernação digital, houve tempo e espaço para muitas mudanças. Mudança de casa, de rotinas, mudança até de composição do agregado familiar (a processar, pronto). E este tempo de tanta mudança obrigou-me a uma reflexão para o futuro. Aquilo que tinha planeado ia ser diferente, ohhh e agora? Caramba, que a falta de controlo é tramada. Importante é deixar a vida fluir, embora difícil de conseguir.

Houve tempo para fazer coisas diferentes, como um regresso ao passado. Fui convidada para ser tutora da CASES – Cooperativa António Sérgio, no Programa de Formação Gestão de Empresas Privadas, Cooperativas e Sociais, na FCSH-NOVA, para as áreas de Marketing e Gestão Estratégica. E foi muito giro voltar a dar aulas, desta vez com a oportunidade de acrescentar a inovação social ao já tão badalado marketing. E explicar a alunos de várias idades, de diferentes formações, o que faz uma doula ou porque é o marketing a leites artificiais tão agressivo.

Houve tempo para fazer voluntariado com as minhas amigas CAMs (conselheiras de aleitamento materno) do IBFAN, ao darmos formação sobre extração e manuseamento de leite materno.

Houve tempo para me juntar à direção do Jardim Infantil do meu filho, onde me inspiro junto de mais 5 pessoas que acreditam que é possível alcançarmos algo melhor.

E houve tempo para saborear a vida, para arranjar lugar para o que está para vir. O Mimami é o meu projeto do coração e, mais do que nunca, sei que ainda irei precisar muito dele, mas que se revista de mil outras formas e cores. Porque a evolução na vida é isto mesmo, muitos lápis, com muitas cores, com uma infinidade de desenhos possíveis…

Powered by Fundação EDP

E mais um passo foi dado rumo à concretização do Mimami! Fomos recebidas de braços abertos pelo Social Lab, da Fundação EDP!

A Fundação EDP é uma instituição de direito privado, sem fins lucrativos, criada pela EDP em 2004. Inovação social, apoio às artes, fusão da energia com ciência e educação, são os valores estratégicos que orientam a sua atividade. É uma das instituições privadas que mais investe no 3º setor em Portugal.

Reconhecendo o potencial que os negócios sociais representam para a inovação e transformação da sociedade, a Fundação EDP criou em 2012 o Social Lab da Fundação EDP. O Social Lab apoia a criação, a implementação e o desenvolvimento de negócios sociais em qualquer fase do seu ciclo de vida, desde o start up ao scalling up.

Além do financiamento, o Social LAB acompanha diversos projetos de forma a fortalecê-los com vista à sua autonomia, num percurso que engloba a definição do modelo de negócio e o apoio em diversas àreas e competências complementares às necessidade de cada parceiro (comunicação, apoio jurídico, apoio contabilístico, etc).

Connect to Success – Católica Lisboa SBE

Workshops sobre gestão gratuitos para mulheres empreendedoras na Católica? Oi? Claro que estou lá!

Estes workshops resultam da iniciativa Connect to Success da Embaixada dos Estados Unidos da América em Portugal, com o objectivo de apoiar negócios que são geridos por mulheres. Comecei pela sessão “Como vender em 30 segundos”, passei ao workshop sobre Marketing Digital, e terminei a tarde com esclarecimento de dúvidas sobre o programa Portugal 2020.

Mas o momento alto aconteceu quando saí da primeira sessão e alguém me abordou. Uma mãe empreendedora, que tinha conhecido o Mimami na Feirinha da Família e nos acompanhava desde então. Estava ali porque tinha visto a nossa divulgação do programa! São pequenas coisas como esta que nos enchem o coração e dão motivação extra para continuar.

De resto, foi bonito ver os auditórios cheios de mulheres empreendedoras. Que haja mais iniciativas deste género!

PAES Invest

O dia mais esperado pelos empreendedores do PAES (Programa de Apoio a Empresas Sociais) finalmente chegou! Foram 5 meses de formação intensiva na área empresarial de forma a preparar o plano de negócio de cada projecto, que culminaram neste grande evento, realizado na Reitoria da Universidade de Coimbra.

Os 13 projectos finalistas foram escolhidos entre os 349 que se candidataram ao Programa, dirigido aos empreendedores que oferecem uma resposta inovadora, sustentável e geradora de valor social e económico, para problemas ou necessidades sociais. Um Programa criado no âmbito do Banco de Inovação Social, uma plataforma de trabalho informal, criada pela SCML, que reúne 26 parceiros em torno deste tema.
E nós lá estivemos a apresentar o Mimami aos investidores, autarquias, representantes de associações de business angels… Acreditamos que lançámos muitas sementinhas que ainda poderão vir a florescer!
Sinto-me uma privilegiada em estar rodeada de pessoas que acreditam em causas e que trabalham para transformar o mundo. Mais do que colegas, fiz amigos para toda a vida!
prémiosauditóriocristina cardigo mimamiperguntas e respostas investidoresadministrador paulo caladotuna medicina coimbra

Cai 7 vezes, levanta-te 8

Ser empreendedor é duro, muito duro. Ideias, qualquer um consegue tê-las no duche… mas executar? Isso é duro!

Foi mais ou menos esta a mensagem que trouxe para casa depois de ter passado o dia na Bolsa do Empreendedorismo, uma iniciativa da Comissão Europeia em Portugal. O responsável? Hugo Macedo, Engagement Leader da Unbabel.

Depois de dois dias mais duros, em que parece que temos o negócio mais arriscado do mundo (clientes? mas alguém vai pagar pelo vosso serviço?) e nos questionamos se precisamos de vender a alma em troca de sabonetes, foi uma lufada de ar fresco. O meu sonho é criar uma oferta cujo modelo de negócio – social e sustentável – apesar de disruptivo, continua a criar valor para os clientes, para parceiros, paga ordenados e ainda traz o bem para a comunidade!

Se calhar precisam de um patrocinador que alavanque o negócio. Não, não queremos uma Nestlé, chega a ser ofensivo!

São dondocas doidas, umas ingénuas, um dia hão-de acordar para a realidade.

Sou combativa, mas há dias em que me questiono mesmo… será que isto é viável? E se não encontrar o espaço perfeito?

Perfeição é palavra a eliminar do dicionário. Ir para o mercado, o mais depressa possível, aprender com os erros, adaptar, ir de novo para o mercado. A iteração do lean startup.

E ter uma equipa forte, coesa, com a mesma dose de empenho e loucura.

E trabalhar, trabalhar muito. 1% inspiração, 99% de transpiração.

Não se livram de mim tão cedo!

 

1º Prémio IADE-U BIS

Hoje foi um dia de muitas emoções fortes! A Diana Oliveira e o Ruben de Barros, ganharam o 1º prémio do Desafio IADE – Creative University e Banco de Inovação Social, com a criação da nova imagem do Espaço Mimami! Parabéns a eles!

 

Bootcamp IES

Fim-de-semana intenso com o IES – Instituto de Empreendedorismo Social! Aprender, construir, desconstruir, reconstruir, destruir, desistir, recomeçar com novo fôlego! Depois da formação intensiva, de um momento para respirar com a Oxigénio, apresentámos um pitch de 2 minutos para o júri. Mas, melhor do que tudo, conhecer o Miguel Alves Martins, a Kátia Almeida e a Pressley Ridge Portugal, o Hugo Menino Aguiar e a Speak, a Mariana Brilhante e reencontrar a Rita Megre. Foram momentos de muita partilha, companheirismo, esforço imenso… adorámos!

Caminhando!

Agosto foi aquele mês complicado que não se sabe bem como vai ser o futuro. Ai, a formação! Ai, que o puto vai para a creche! Ai, será que vai comer bem? Ai, e dormir, de certeza que não dorme! Ai, que vai achar que o abandonei!! Aiiii!!

Setembro trouxe-nos alguns ais, mas deixá-lo no “melhor jardim infantil do mundo” fez com que o meu coração não saltasse do peito. Era preciso confiar, esperar por Outubro, acreditar que tudo iria encarreirar. E assim foi.

Ao mesmo tempo que fazia a ginástica para estar em todo o lado, o programa de capacitação do BIS começou de forma excelente! Workshops com a Cooperativa Criativa e Beta-i, mindfulness com a Minnie Freudenthal e Jorge Portugal, contabilidade e fiscalidade com a BDO, consultoria jurídica com a Gomez-Acebo & Pombo, sessões com o IAPMEI, DNA Cascais, trabalhar com os alunos do IADE para o design e comunicação, conversas inspiracionais com os gurus da Young Foundation… e um bootcamp IES!

Yes, we can!

A decisão após o pitch – BIS

O pitch saiu +- conforme planeado (como podem ver aqui) e cumpri os 3 minutos.

Fui a 2ª pessoa a apresentar, graças ao meu primeiro nome ser Ana. Saí do convento, regressei a Cascais, estive com marido e filho. Decidimos ir juntos para Lisboa para saber o resultado.

Entrei na sala confiante. Vi uma pilha de moedas amarelas e pensei “uma delas vai ser nossa”.

Chamam um nome, outro nome, mais outro… e ainda outro, aqueloutro… e a confiança vai esmorecendo.

Até que… TAN TANNNN Espaço Mimami chamado ao palco! Faça favor de receber esta super moeda, que lhe dá entrada directa para o programa de capacitação para empresas sociais, avaliado em 10.000€!

UAUUU!

 

Véspera do Pitch BIS

9 de Julho : plim! Novo email!

Prepare-se que amanhã irá apresentar um pitch de 3 minutos ao Conselho Operacional do BIS.

Amanhã?!

3 minutos?!

Desmaiei, recuperei, voltei a desmaiar.

Em Julho estava a cuidar do meu filho, dia e noite. Sendo que o grau de actividade diurno era tão elevado como o nocturno. Como preparar um pitch enquanto se toma conta de uma criança de 1 ano e 8 meses? Com criatividade. Muita criatividade e estupidez natural.

Aproveitei as sestas (30 minutos de manhã e 1 hora de tarde) para organizar as ideias e escrever o guião. Não consegui treinar estando com ele, pelo que aproveitei quando o pai da criança chegou para me pôr frente ao espelho e fazer o meu sorriso 34, com cronómetro na mão.

Não sei quantas vezes repeti o pitch. Sei que foi uma noite de drama, com o meu filho de nariz entupido e sem conseguir mamar e, portanto, com uma dificuldade enorme em adormecer. Depois, drama com o pai da criança. Toda eu era drama naquela noite. Já dizia que não ia lá fazer nada, para fazer figuras triste fazia em casa.

Olá a todos, o meu nome é Cristina, e sou drama queen.

No dia seguinte, saí cedo de casa. O meu marido conseguiu fazer a ginástica hercúlea de tirar um dia de férias em cima da hora para ficar com o pequenito. Percorri o caminho, repetindo o pitch sem perder o fôlego. Enquanto esperávamos, repeti mais umas quantas vezes mentalmente.

3 minutos. Era o tempo que tinha para provar quanto valia.