Amamentar, de coração cheio

Fotos românticas de mães, com ar sereno e composto, a amamentar os seus bebés. “O melhor presente que lhe poderia dar.” Tudo fácil, tudo simples, tudo tranquilo.

E quem fala nas gretas, nas posições, nas noites mal dormidas, no bebé que chora e não sabemos como acudir? Ganha pouco peso (seja lá isso o que for), dorme pouco (seja lá isso o que for), toda a gente opina sobre aquele pequeno ser que acabou de chegar a este mundo.

Amamentar, algo natural mas que nem sempre vem com naturalidade.

Perante os problemas, muitas mães procuram apoio especializado. Prefiro substituir a palavra problema por desafio. Porque é precisamente isto que as mães terão nas suas mãos: desafios a serem ultrapassados.

E quem disse que era fácil?

Ninguém!

Partos traumáticos, apoio pouco especializado na amamentação, cansaço, privação de sono, muita desorientação. É preciso ter uma boa estrutura familiar para conseguir chegar a bom porto. Muita determinação e sentido de auto-eficácia.

É sempre possível?

Não! Muitas mães têm outros desafios em mãos, nem sempre relacionados com a amamentação, mas que influenciam a sua dedicação. E é preciso respeitar, dar espaço, cuidar quando há outras feridas por curar.

Há dias chegou-me às mãos o livro Heartfulness da Mikaela Ovén. E, tal como no primeiro livro, foi um beber das palavras até chegarem ao âmago. Pensei que tinha tudo a ver com o desejo de amamentar.

Mãe, comece por definir a sua intenção.

A Intenção cria a Realidade

O que quer? Como se quer sentir? E o que está a fazer para isso acontecer?

Questões aparentemente simples mas nem sempre de fácil resposta.

Uma intenção é um princípio que o guia em relação à pessoa que quer ser, a forma como quer viver e surgir para a Vida. As intenções guiam as acções e, quando transforma as suas intenções em intenções conscientes, reclama o seu poder pessoal. Com as intenções bem definidas saberá o que fazer a qualquer momento.

Lembre-se que é consigo mesmo que se compromete, e com mais ninguém. Comprometa-se a participar plenamente no processo que se proporcionar.

É precisamente isto. Comprometemo-nos connosco a ir mais além, com apoio. Dentro das nossas possibilidades e recursos, físicos e emocionais. Com consciência.

Pegamos, então, nas atitudes do Heartfulness para ajudar as mães com desafios que a amamentação por vezes traz.

❤ Abertura

Criar espaço e estar aberto. É um parar da mente e um abrir do coração. Este é o ponto de partida. Aceitar que podem existir vários obstáculos, neste caminho a percorrer. Estar aberta ao que possa acontecer.

❤ Não-julgamento

Estamos constantemente a fazer avaliações. Julgamo-nos a nós próprias mais do que aos outros. Sentimos julgamento de quem nos rodeia também. Será que sou boa mãe se não amamentar? Sinto-me culpada por não estar a resistir à pressão? Sinto-me a falhar porque o meu corpo não está a conseguir nutrir a minha cria? São vozes interiores, vozes exteriores também, que nos tornam inseguras e colocam em causa o que estamos a tentar alcançar. Vamos aceitar o julgamento com compaixão. Tomar consciência que ele existe mas são “meros” pensamentos na nossa mente.

❤ Paciência

Ter paciência significa estar em paz com o fluir da Vida. Muita paciência para aceitar o que está a acontecer. Não quer dizer que nos conformemos. Significa que teremos que ser pacientes para o que é, hoje.

❤ Mente de principiante

Tudo o que fazemos, fazemos pela primeira e última vez. Não existe um único momento igual ao outro. Mesmo que o nosso bebé não pegue na mama como gostaríamos. Mesmo que estejamos a tentar pela centésima vez. É sempre diferente. Todos os momentos são diferentes.

❤ Confiança

Aprender a confiar no processo e permitir que a vida flua. Confiar no processo e no apoio especializado que pedimos a uma CAM é fundamental. Confiar que tudo muda e cada ação que temos, de acordo com a intenção que definimos, vai influenciar todo o processo. Aceitar que a vida deve fluir e nós fluímos com ela, sempre de olhos postos na nossa intenção.

❤ Não-esforço

Com resultados específicos e muitas expectativas é provável q nos desiludamos. Esta pode ser das atitudes mais difíceis. Somos orientadas para definir metas e objectivos. É natural que tenhamos expectativas, queremos muito amamentar o nosso bebé. Então, como aplicar esta atitude de heartfulness? De olhos postos na intenção. Com compaixão para connosco próprias e para com o processo.

❤ Aceitação e deixar ir

Aceitar não quer dizer desistir, concordar, resignar ou aprovar. Simplesmente quer dizer que estamos a ver as coisas como realmente são e não como gostávamos que estivessem. Aceitar significa estar em paz com o que é. Muitas vezes é mesmo assim, para se poder sentir paz. Nós estamos cá para apoiar em todo o processo, fazer o melhor possível com os recursos que a mãe tem. Há processos que levam mais tempo. Situações mais delicadas

❤ Generosidade

Ser generoso sem expectativas, uma generosidade que vem directamente do coração, conecta-nos com os outros e permite-nos experienciar a união. Com o nosso bebé. Connosco próprias.

Partilha o que te vai na alma...

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s