Chegou o Francisco!

Que benção de bébé, e que parto maravilhoso! Poderia ter 10 se fossem todos assim…. sempre tive partos relativamente rápidos, mas o do Francisco superou todas as expectativas!

O parto do Duarte foi para mim o mais dificil, embora tenha durado 12h desde a primeira contração e 5h desde que cheguei à maternidade até ele nascer, o que para um primeiro filho é uma média muito boa, mas por ser o primeiro, e penso que por ser em Portugal, cultura onde, pelo menos há 7 anos atras, o parto era encarado como mais um acto médico… porque digo isto? Porque a impressão que tive foi que quem tinha de estar confortável no MEU parto era o médico: eu devia ter tido epidural, afinal é mais confortável fazer um parto a quem está com anestesia, mas não tive porque recusei e bem “levei nas orelhas” por isso, eu tive de estar deitada de costas, em posiçao ginecológica, embora fosse a posição em que me sentia pior, e eu tive direito a uma episiotomia embora me pergunte se teria sido mesmo necessária… a prova de que talvez não é que de nenhum dos outros dois tive… tive direito a dizerem-me que estava a fazer tudo mal, e se calhar até estava, mas hoje, conhecendo outra realidade sei que se pode tratar uma parturiente de outra forma! Não guardo boas recordações do meu primeiro parto!

A Eva nasceu na suiça, na maternidade onde trabalho actualmente, 8 horas desde a primeira contracção até ao nascimento, mas cheguei à maternidade apenas com 2 cm de dilataçao e em 45 minutos a Eva nasceu. Foi um parto muito diferente, com a parteira a perguntar-me se eu queria uma massagem nas costas, a dizer-me que se não quisesse epidural havia outros métodos naturais de alivio da dor, e senti ali, o esforço dela para EU estar confortável no MEU parto! Não tive tempo para epidural, e vi que ela esteve comigo com a maior paciência, que esperou a Eva sair no tempo dela e sem pressas e que não precisou de uma episiotomia para lhe facilitar/acelerar o momento… e eu estive sentada na beira da cama! Era assim que estava melhor, foi assim que a Eva nasceu! Foi um parto bom, reconciliei-me com o nascimento, mas o facto de a fase activa do trabalho ter durado apenas 45 minutos fez com que fosse super violento em termos de dor. Mas a parteira com a sua imensa paciência não parava de me dizer “está a fazer um óptimo trabalho, continue!”

Mas o parto do Francisco, ah, este foi uma dadiva! Primeira contracção as 00h30, não liguei muito, às 01h30 tinha tido umas 4 achei que afinal a coisa devia estar mesmo a começar a dar-se… levanto-me, vou arranjar as coisas do filhote que tinha uma visita de estudo, acabar de preparar a minha mala, arranjar-me. Por volta das 2h15 o marido acorda, digo-lhe que a coisa está a dar-se, ele apressa-se a dizer-me “entao vá, prepara-te e vamos embora”, mas eu estava descansada, as contracções eram mais dolorosas mas bem suportaveis, e irregulares, ora de 5 em 5 min, ora de 10 em 10… fiz as contas em relação ao nascimento da Eva, 8h desde a primeira contracção e achei que tinha margem… depois de alguma insistencia do marido lá saímos de casa, e por um lado, pensava eu, não era mau chegar mais cedo do que quando foi a Eva, como tinhamos planeado o parto na agua teriamos tempo de nos instalar, de estar verdadeiramente juntos para preparar a chegada do nosso bebe. Chego a maternidade as 03h20 com um enorme sorriso nos labios, as contracções a partir desse momento começaram a ser bem mais dolorosas. As minhas colegas acolheram-me, puseram a banheira a encher e disseram, “vamos examinar-te só para ter uma ideia do ponto em que estamos”. Eis que olha para mim e me diz: “estas com 8cm!” Fiquei meio em choque porque não esperava… duas ou 3 contracções depois estava com a dilatação completa! A banheira ainda a encher, tinha uns 2 palmos de agua, disseram-me para “saltar” la para dentro, assim que ponho um pé na banheira quase entro em pânico: “estou a sentir a cabeça dele!” Sentei-me, as colegas só tiveram tempo de pôr luvas, fiz força duas vezes e cá estava o nosso Francisco! Em 3h desde a primeira contracção o nosso menino estava cá fora! Em termos de dor foi muito menos violento que o parto da Eva, e na fase expulsiva (o que sempre me custou mais) o Francisco fez o trabalho quase todo ele próprio! O pai não saiu do meu lado e acho que ficou tão admirado quanto eu com a rapidez da coisa e ao mesmo tempo com a forma tão natural como tudo aconteceu!

Obrigada Francisco, por este momento maravilhoso que foi o teu nascimento!

~~~~~~~~

Assinatura Cátia

2 thoughts on “Chegou o Francisco!

  1. Sonia Cavadas diz:

    Olá Cátia, que bonita e compostinha está a tua família 😀 !
    Fico feliz por saber que as tuas experiências de maternidade foram sempre melhorando 😊 . Este teu relato pôs-me a pensar na minha (única) experiência de parto, e 8 anos depois, ainda sinto que foi…horrivel, e que não teria coragem de passar por outro parto…
    Sinto vergonha pelos gritos que dei (e que devem ter ouvido no Hospital inteiro…) e por ter sido tão…descontrolada, mas das duas uma: ou a minha tolerância à dor é muito pequena, ou no Hospital não agem de modo a facilitar os partos.
    Em primeiro lugar, comunicação =0. Não explicaram nada, o que se estava a passar, o que me estavam a dar, nicles. Uma médica chegou inclusivamente a “observar-me” sem me dizer uma única palavra antes!
    Posição – deitada, 12 horas deitada! Será que teria ajudado se eu me tivesse levantado e andado um bocado,ou outra coisa qualquer que não estar ali esparramada na cama?
    Epidural – queria e levei (não perguntaram, mas isso não interessa nada😐) mas tinham mesmo que deixar acabar e esperar 2 horas (que foi quando o Kiko quis finalmente sair) depois de muito gritar, para me darem mais?
    Hora do parto – outra vez deitada! Tenho a certeza que se estivesse sentada colaborava mais! Estou certa?
    Minto, afinal houve comunicação: no final do parto a médica disse que me portei muito bem…?!?!?
    Se eu soubesse o que sei hoje, talvez tivesse sido mais assertiva ou tivesse colocado mais questões, mas enfim, era um bocado timida…mas também me parece que fui parar a um serviço que talvez estivesse mais vocacionado para fazer outra coisa que não partos😝

    Portanto, se houver uma próxima vez, posso ir parir ao teu Hospital?

    Muitos beijinhos, saúde e felicidades para todos 😚😊

    Gostar

    • catiagodinho diz:

      Querida Sónia o que descreves é exactamente a ideia que tb fiquei do parto do Duarte…. 12h deitada é demais, o andar facilita o avançar do trabalho, eu quando estive em trabalho de parto das 3 vezes a posiçao que menos suportava era estar deitada! Aqui até de gatas as mulheres tem os bebes! O que é realmente importante é que a parturiente esteja o mais confortavel possivel… espero que de facto em portugal a forma de encarar o parto mude e o mais rapido possivel…
      Entretanto as portas da maternidade onde trabalho estao abertas ;)
      Um grande beijinho com saudades!!!

      Gostar

Partilha o que te vai na alma...

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s