Liberdade

Meu filho,

Hoje o país que te viu nascer celebra o 25 de Abril. Talvez passe despercebido aos mais distraídos, já que este ano calha num sábado. Mas vou tentar explicar-te, de uma forma muito básica, o motivo deste feriado. Antes de 25 de Abril de 1974, o nosso país não vivia em liberdade. Havia um senhor que mandava cá no burgo, fazia o que bem entendia, com um grupo de capachos bem mandados, que serviam para controlar e perseguir quem não atinava com as ideias do tal senhor. Esse senhor chamava-se Salazar. Sim filho, tem o nome daquela coisa para rapar as taças onde batemos os bolos (isto porque o senhor era muito agarradinho e rapava tudo até ao fim, mas isso é tema para outra altura).

No tal dia 25 de Abril, há 41 anos, houve uma revolução, ou pelo menos é isso que contam os livros de História e alguns senhores que tocam guitarra. E foi uma revolução muito bonita, com militares, pacífica, com cravos vermelhos e tudo.

De um dia para o outro, tudo mudou no nosso Portugal, pensarás tu. As pessoas passaram a ser livres, podem fazer o que entendem, dizer o que lhes der na real gana, afinal estamos num país LIVRE. E não só somos livres de manifestar a nossa opinião como até encontramos compreensão de quem nos rodeia, porque afinal sabemos que só com o debate de ideias é que a sociedade evolui.

Gostava muito de poder dizer-te que sim, que aconteceu uma verdadeira mudança de paradigma. Mas sabes, vou confessar-te uma coisa… eu ainda não sei bem como te vou explicar certas coisas da vida real. Como quando vamos a passear na rua e vemos um cocó de cão… como explicar-te que isso é normal? É que me custa dizer-te que há quem não tenha sentido cívico e não se preocupe com a limpeza das ruas. Como explicar-te, então, o que é a maldade? O bullying e a mentalidade grupal?

Sabes filho, quando a tua avó se aborrecia comigo, era normal dizer-me: “A tua liberdade termina quando começa a minha.” Durante muito tempo não percebi exatamente o que ela queria dizer… e ficava ali a conjeturar sobre afinal onde seria o tal princípio e o tal fim. Hoje, há distância de muitos anos, percebo finalmente o que ela queria dizer.

Por isso, filho, quando vierem falar-te em liberdade e tolerância, para dois segundos para tentar perceber os dois (ou mais) lados da história. Tenta, sobretudo, pensar pela tua própria cabeça. E tem cuidado com os lobos com pele de cordeiro. Vais encontrar muitos Salazares escondidos por aí, que apregoam uma coisa e fazem outra. O nosso país foi fundado por alguém que guerreou contra a própria mãe… que podemos esperar desta herança?

Defende o que acreditas. Dá-te ao respeito.

Este é, talvez, o conselho mais difícil que tenho para te dar. Não te acanhes por pensares de forma diferente, mesmo que não sejas cool. A vida não será tão fácil. Mas terás o coração e a alma livres. É em ti próprio que começa a liberdade.

One thought on “Liberdade

  1. natália Ribeiro diz:

    Sim…é em nós que começa a liberdade…sem “Salazares” na nossa vida!!! Porque se não, nos roubariam tudo… inclusive a voz…
    A herança maior que deixo para meus netos….não é o ouro..nem o dinheiro guardado no baú…é a vontade…é o sonho…é a LIBERDADE!!!

    Gostar

Partilha o que te vai na alma...

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s